Revista Acontece Interior, Rio de Janeiro, Interior, Brasília, São Paulo

Domingo, 16 de Junho de 2024

Notícias/Política

Entrevista exclusiva com Carlos Brito, presidente da Embratur. Confira!

Em 2019, o setor representou quase 9% do PIB do Brasil, com mais de 7 milhões de empregos

Entrevista exclusiva com Carlos Brito, presidente da Embratur. Confira!
Fotos: Alexandre Siqueira
Imagens
IMPRIMIR
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
enviando

Brasília 

Com o ritmo acelerado da campanha de vacinação contra a covid-19, que já ultrapassa os 110 milhões de doses distribuídas pelo governo federal, colocando o país entre os quatro que mais já vacinaram no mundo, se aceleram também os motores da economia brasileira. E um desse enormes motores é o turismo. Em 2019, o setor representou quase 9% do PIB do Brasil, com mais de 7 milhões de empregos.

E entre as principais engrenagens do Turismo, está a Embratur que em pareceria com o Ministério do Turismo, realiza papel fundamental nesse momento tão importante na retomada do Turismo Nacional. E as belezas fluminenses, históricas, culturais e naturais estão dentro dos novos projetos da Embratur.

Publicidade

Leia Também:

A Revista Acontece Interior, conversou em Brasília, com Carlos Brito, Presidente da Embratur que recentemente passou a ser a Agência Brasileira de Promoção Internacional do Turismo. Acompanhe      

  • A Embratur, criada em 1966, acaba de completar um ano nesse novo formato de Agência. O que significa essa mudança para o Turismo Nacional?

Carlos Brito: Significa que a Embratur pode exercer a missão de promover os destinos turísticos brasileiros no exterior com mais agilidade e autonomia, o que era uma demanda de décadas do trade para que nosso país pudesse competir com mais força na busca pelo turista estrangeiro. Esta é uma briga que o Brasil não pode ficar de fora, quando levamos em consideração o potencial que temos para figurar entre os países mais visitados do mundo. Ainda que a transformação da Embratur tenha ocorrido durante a pandemia e que, neste período, tenha sido determinado que devemos a atuar limitados ao mercado interno, a Agência se prepara para iniciar o trabalho internacional a partir do próximo mês de julho.

  • Quais são as principais missões da Embratur junto ao Ministério do Turismo, na promoção do setor turístico Brasileiro?

Carlos Brito: Em um alinhamento total entre as equipes do Ministério do Turismo e da Embratur e sob a liderança do ministro Gilson Machado Neto, desenvolvemos uma campanha de âmbito nacional com o mote “ser brasileiro é estar sempre perto de um destino incrível e seguro”. Nosso principal objetivo com esta ação foi o de garantir que o turismo de proximidade seguisse acontecendo com todos os protocolos de biossegurança atendidos. Em propagandas que destacaram as belezas naturais e culturais do Brasil, exibidas em rádio, televisão, internet e mobiliários urbanos tivemos aproximadamente 500 milhões de impactos, um resultado considerado excelente.

  • Em números, o que representa o Turismo para a economia e mercado de trabalho brasileiros?

Carlos Brito: O impacto do turismo no PIB do Brasil em 2019 foi equivalente a 8,1%, com 7 milhões de empregos diretos e indiretos, o equivalente a 7,5% do número global do país. Após a pandemia temos a estimativa de que 400 mil empregos formais foram perdidos, o que é de se lamentar, claro, mas temos a certeza de que teremos uma recuperação rápida. Temos visto investimentos na infraestrutura do país, concessões de parques nacionais e aeroportos, disponibilização de crédito para que as empresas possam enfrentar as dificuldades vividas por praticamente todas as 52 atividades econômicas da cadeia do turismo. Há muita demanda reprimida e sinais de que o Brasil terá destaque na retomada, fato apontado inclusive pela Organização Mundial do Turismo.

  • O senhor está completando seis meses na Presidência da Embratur, até então comandada pelo atual ministro do Turismo Gilson Machado Neto. Essa sinergia entre os senhores facilita os projetos para o Turismo Brasileiro?

Carlos Brito: Gilson Machado Neto fez história como presidente da Embratur e agora está também fazendo história como ministro do Turismo. É uma grande honra dar continuidade ao trabalho que vinha sendo executado por ele aqui na Agência. Enquanto Gilson esteve à frente da Embratur, em 2019 e 2020, atuei como diretor de Gestão Corporativa e pude acompanhar e fazer parte da mudança do foco de promoção do nosso país. Nas ações da Embratur tivemos sempre o intuito de que precisamos ser conhecidos pelos produtos regionais maravilhosos, cultura rica, música diversa, além, claro, das belezas naturais incomparáveis. Junto ao presidente da República, Jair Bolsonaro, Gilson Machado foi responsável pela edição da Medida Provisória 907/2019, que foi aprovada pelo Congresso Nacional e se converteu na Lei 14.002/2020. Temos agora possibilidades infinitas para promover nosso turismo e ocupar o espaço que merecemos na prateleira internacional. A sinergia com o ministro Gilson e com o Ministério do Turismo é total e extremamente importante para que continuemos superando os desafios que vem pela frente.

  • O senhor assumiu num complicado momento mundial. O que mudou para o setor nesses quase um ano e meio de pandemia?

Carlos Brito: A Covid-19 atingiu fortemente o setor de turismo. O Conselho Mundial de Turismo e Viagens estima que o PIB do turismo mundial sofreu uma queda de 49,1%. Houve uma queda de 18,5% na quantidade de empregados no turismo em 2020. Ainda que não haja dados oficiais até o momento (números relativos à pesquisa da Demanda Doméstica que informa o fluxo de turistas brasileiros entre as regiões do Brasil devem ser divulgados em novembro), os mais de 11 milhões de brasileiros que costumam viajar ao exterior anualmente tiveram a opção de viajar para os destinos nacionais. Buscamos garantir que aqueles que não puderam sair do país por conta das restrições impostas para viagens internacionais tivessem o interesse de conhecer os destinos nacionais. Junto ao Ministério do Turismo também buscamos ajudar o trade turístico a estar adequadamente preparado para receber turistas, seguindo os protocolos de segurança contra a Covid-19. Seguir operando de forma adaptada foi um grande desafio para todos e seguimos trabalhando para isso.

  • O Rio de Janeiro é um dos mais importantes Polos Turísticos brasileiros, tanto capital quanto seu interior. O senhor está fortalecendo o Turismo Fluminense com a implantação de uma “extensão” da Agência na Capital que estará a cargo de Camila Souza que goza de excelente relação com os segmentos turísticos. Quais são os projetos para o Estado do Rio de curto e médio prazos?

Carlos Brito: O Rio de Janeiro é um dos principais cartões postais do Brasil para o mundo, por isso a Embratur está abrindo seu primeiro escritório regional na cidade maravilhosa, que irá atender também a toda a região Sudeste do Brasil, sob a coordenação da Camila Souza que conhece muito bem o trade local. Planejamos estar mais próximos de quem faz o turismo acontecer em nosso país e, por isso, teremos um escritório em cada uma das cinco regiões. O Rio de Janeiro, com suas belezas exuberantes, cultura rica e diversa, gastronomia, música e o encantamento que produz em todos que o visitam, é símbolo do potencial que temos para ter protagonismo no mercado internacional do Turismo. O objetivo do novo escritório será permitir maior capilaridade das ações da Embratur junto ao trade turístico e aos órgãos públicos responsáveis pelo turismo de forma regional.

  • O Interior do Rio de Janeiro tem diversos polos turísticos. Nesse momento em que a Embratur está priorizando o turismo interno, esses polos estarão dentro dos novos projetos?

Carlos Brito: Estamos certos que a retomada do turismo em nosso país irá acontecer com grande destaque. O mundo quer conhecer os destinos com opções ao ar livre como nunca antes quis. Todos os destinos e rotas turísticas estão nos nossos planos e, por isso, mantemos contato com as entidades representativas sempre, além de estarmos à disposição para quem tiver interesse. Juntos e alinhados com quem mais conhece cada destino vamos atingir nossos objetivos, com uma promoção turística adequada para cada ação.

  • A campanha “Ser Brasileiro é estar sempre perto de um destino incrível e seguro” tem a missão de incentivar ainda mais esse turismo regional, interno?

Carlos Brito: A campanha da Embratur reforçou aos brasileiros, entre novembro de 2020 e março de 2021, que é hora de planejar a viagem para o próximo destino, que devemos viver intensamente o Brasil e que há sempre um destino perto e seguro. O turismo de proximidade é o que está se recuperando mais rapidamente e deve ser fomentado. Todas as imagens que apareceram em nossos comerciais de televisão, aberta e fechada, e também na internet e nos painéis eletrônicos, foram captadas especialmente para esta campanha nacional. Mostramos a gastronomia, belezas naturais, música e a alegria dos brasileiros, e incentivamos que ficasse dentro do Brasil uma parte dos aproximadamente R$100 bilhões gastos anualmente por brasileiros que viajam ao exterior. Com a campanha, conseguimos 31 milhões de visualizações na televisão (canais abertos e fechados), 136 milhões de impactados em inserções de rádio; mais de 23 milhões de visualizações dos vídeos na internet e outros 316 milhões de impactos em mobiliários urbanos. Após o término da campanha “ser brasileiro é estar sempre perto de um destino incrível e seguro”, iniciamos a divulgação da campanha vacinação contra a Covid-19 no Brasil, essencial para o aumento da confiança dos turistas e para que as viagens voltem a ocorrer de forma segura.

  • Há novidades para o turismo no Mercosul?

Carlos Brito: Grande parte dos turistas internacionais recebidos pelo Brasil é proveniente dos nossos países vizinhos. Isso é facilmente constatado especialmente nos destinos com sol e praia, segmento mais procurado pelos turistas do Mercosul. Participei há menos de um mês da feira BNT Mercosul, com a participação de todos os nossos países vizinhos e, mesmo que com um formato online, a feira teve mais de 2,5 mil inscritos, o que foi considerado um sucesso pela organização do evento. Em outubro de 2021 a Embratur estará na FIT América Latina, feira importantíssima de turismo realizada em Buenos Aires, na Argentina.

...Pensamento... 

“Estamos em um novo momento para o turismo no Brasil. O governo brasileiro atua como nunca para fortalecê-lo, para que deixe de ser uma potência do futuro e vire realidade para agora. O setor passou a ser tratado como prioridade, como um vetor estratégico para o desenvolvimento social e econômico de todas as regiões nacionais, cada uma com suas atrações especiais. Por isso, medidas para atender os pleitos do trade e apoiar propostas e reformas estão sendo tomadas por serem determinantes para que o Brasil mude de patamar no cenário internacional. Seguimos o excelente trabalho que estava sendo feito pelo agora ministro do Turismo, Gilson Machado Neto, que, como presidente da Embratur, mudou o foco da promoção do Brasil e vinha colhendo excelente resultados com diversas ações tomadas em conjunto com o Ministério do Turismo e com o Governo Federal, como a isenção de visto para turistas de países como Estados Unidos, Austrália, Japão e Canadá, que rapidamente fizeram aumentar o número de visitantes desses países ao Brasil. Há muita demanda reprimida para o Turismo neste momento. As pessoas estão ansiosas por sair de casa com segurança, atendendo a todos os protocolos, por isso os destinos de Natureza, como Sol e Praia, Ecoturismo em geral, estão tendo grande procura. Com a vacinação da população, teremos um crescimento do nosso turismo em um ritmo muito grande. Os esforços do governo federal para garantir a vacinação dos brasileiros já começam a dar resultado, e o Brasil tem se destacado pela rapidez com que tem disponibilizado a vacina, ficando atrás apenas dos países fabricantes, o que também estamos nos preparando para fazer. Buscando garantir melhores resultados, a Embratur anseia por novas parceiras e está de portas abertas para receber secretários municipais, estaduais e dirigentes ligados ao mercado do Turismo. Peças publicitárias para campanhas online e offline e a busca de recursos para o setor do turismo no Brasil são o foco da Agência Brasileira de Promoção Internacional do Turismo, e estamos muito confiantes que o Brasil poderá, em breve, exercer todo o seu potencial e estar na prateleira global do Turismo, como o protagonista que deve ser.”

Comentários:

Veja também

Crie sua conta e confira as vantagens do Portal

Você pode ler matérias exclusivas, anunciar classificados e muito mais!